Não protegem

Uma organização chamada AV-Comparatives testou 250 antivírus disponíveis para dispositivos Android, e o resultado foi preocupante: Só 80  conseguiram barrar as ameaças, e em média só 30% dos malwares, e pasmem, só 9,2% deles detectaram todas as pragas. Trocando em miúdos, a maioria dos apps desse tipo, disponíveis na Play Store não são confiáveis e não servem prá p*%ra nenhuma.



Bad Droid / antivírus


A pesquisa usou vários anti virus e spywares que prometem "eliminar" vírus, malwares e outras pragas de celulares e tablets Android. Ela incluiu os de nomes famosos e mundialmente conhecidos até os que ninguém conhece e nem ouviu falar ainda. O culpado dessa pesquisa acontecer ? Um aplicativo lançado em 2017 com o nome de Virus Shield. Ele prometia passar a vassourinha em qualquer malware que estivesse no Android, mas na verdade  não fazia nada além de exibir uma barrinha de progresso. A coisa foi feia, entraram na roda e não se deram muito bem empresas como Kaspersky, McAfee, AVG, ESET, Avira, Symantec, P-Safe e F-Secure. Algumas até tentaram barrar o resultado da pesquisa na justiça, mas o embasamento era muito forte e desistiram. A pesquisa pegou até algumas soluções nativas como o Google Play Protect que já vem em todo dispositivo Android, e no Gerenciador de Dispositivos da Samsung. Os testes foram em um Galaxy S9 com Android 8.0 Oreo, e num Google Nexus 5 com 6.0 Marshmallow. A metodologia usada no teste era simples : inseriram propositalmente vários vírus e ameaças nos aparelhos, e para serem considerados pelos menos "bonzinhos" eles precisariam identificar e barrar pelo menos 30% deles, sem nenhum tipo de falso positivo disparado. Como eu disse, o resultado foi um desastre.



Salvando

Se você usa um iPhone para assistir vídeos do YouTube já deve ter tido vontade de baixá-lo para assistir mais tarde, num horário melhor e mais cômodo certo ? Bom, mas o processo dos produtos da  Apple não são simples como no Android, que com um site você já consegue fazer o download.



YouTube no iPhone


Mas apesar disso, o iOS tem um recurso nativo que pode ser usado para salvar vídeos do YouTube no iPhone sem você ter que instalar aplicativo ou atalho. Fiz aqui e deu certo....segue aí o tutorial se você estiver precisando ou se for o seu caso :


Abra a parte de “Ajustes” do iPhone e entre em “Central de controle


Reprodução



Toque em “Personalizar Controles” e, então, em “Gravação de tela


Reprodução



Agora, entre no aplicativo do YouTube e já procure pelo vídeo que você quer gravar


Reprodução



Com o vídeo pausado, deslize a tela do celular para cima de forma que a sua central de notificações seja aberta e use a função de “Gravador de tela”


Reprodução



Deixe o vídeo rodando e, ao final dele, volte a abrir a tela de notificação para parar a gravação do vídeo


Reprodução




Pronto, agora o vídeo tá dentro do seu aparelho Apple - iPhone, iPod, IPad e etc......Ah é, já ia esquecendo, caso o celular esteja no modo silencioso ele não vai captar o som, não esqueça de verificar tudo isso antes. A vantagem é que você pode baixar o vídeo prá assistir depois e não vai depender mais de internet prá isso. 



O Pato da busca

Uma mudança no Google Chrome deixou muita gente surpresa. Em 60 países o Google incluiu no navegador a opção de se usar o motor de buscas pró-privacidade DuckDuckGo.



A mudança foi incluída no Chromium 73, a versão mais recente do motor Chromium que é a fundação e base de código-aberto do navegador Chrome e de diversos outros navegadores.  Inicialmente, foi uma ação bem discreta e sem muita propaganda, sem anúncio algum, mas chamou muita atenção depois que o público começou a perceber a inclusão. Um porta-voz do Google explicou que foram atualizadas a lista de motores de busca padrão disponíveis nas configurações do navegador. A nova lista é baseada na popularidade de motores de busca em diferentes locais, determinada a partir de dados disponíveis publicamente e que façam jus a região, incluindo até termos e apelidos para alguns itens. O Brasil ficou de fora dessa vez.